SOBRE

VICTOR CHAHIN

Jornalista de formação e fotógrafo da Natureza, Victor Chahin, 23 anos, começou a fotografar aos 12 anos de idade por influência do professor de biologia Reinaldo Haeik. O professor, empolgado em levar seus alunos para a Ilha do Cardoso (Cananéia/SP), durante um projeto do colégio, mostrou um pouco das aves da Mata Atlântica. Uma delas despertou a conexão de Victor com a natureza, o Tangará-dançarino.

No mesmo ano (2008) ganhou sua primeira câmera e deu início à trajetória de fotógrafo de natureza. Do seu apartamento em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, fotografou as primeiras aves como os Sanhaços, Sabiás, Bem-te-vis e Periquitos.

Em 2009, com 13 anos, Victor Chahin viajou pela primeira vez para a Amazônia brasileira. Com seus pais e irmão, organizou algumas expedições para o Rio Ariaú, onde os guias fugiram dos roteiros turísticos, para levar o jovem-fotógrafo a conhecer lugares e aves das mais diversas espécies. Na volta da viagem, Victor fez seu primeiro foto-livro.

O ano 2010 foi importante para carreira, pois conheceu o renomado fotógrafo Araquém Alcântara, com quem iniciou uma nova maneira de olhar a natureza. Com Araquém, Victor Chahin conseguiu aprofundar a fotografia como forma de expressão pessoal e causa social.

Com 15 anos já viajava para diversas regiões da Mata Atlântica do sudeste brasileiro com o guia Rafael Fortes. Nesse período, fez expedições pelo estado de São Paulo à procura de paisagens únicas e raras espécies de aves.

Após isso, em 2012, Victor teve a oportunidade de estudar na Austrália, em um Colégio que tinha uma das matérias extracurriculares a fotografia. Em terras australianas, pode aprofundar seus conhecimentos sob o elemento mais importante da arte da fotografia: a luz.

No seu retorno ao Brasil, viajou mais vezes com o Araquém, sempre aproveitando o máximo de seus conselhos. Aos 17 anos fez sua primeira exposição individual no Palácio da Polícia, na cidade de Santos –SP, que teve curadoria do próprio Araquém Alcântara.

Em 2017 participou de uma exposição de arte no Instituto Gustavo Rosa em São Paulo e na Galeria 22. No mesmo ano, Chahin levou algumas fotos para a Artexpo e para a Affordable ArtFair em Nova Iorque.

Victor se formou em jornalismo em 2017 e para seu trabalho de conclusão de curso produziu um livro com 120 páginas e 60 fotos. Sendo o tema principal o processo de destruição da Mata Atlântica brasileira.

No ano de 2018 participou com obras na Brazil Foundation, em um evento que celebrava a Floresta Amazônica, na cidade de Nova Iorque. Além de ter exposto em Paris, no Carrousel du Louvre e participado de uma exposição coletiva na By Kamy Maison em São Paulo.

Nos próximos anos, Victor Chahin está dedicando-se a dois grandes projetos na área da fotografia. Um deles está sendo a produção de um livro sobre a Vale do Ribeira, uma mesorregião entre os estados de São Paulo e Paraná, com a ajuda dos guias Rafael Fortes e Carlos Roberto da Silva (Duco). Além disso, está com um projeto sobre os felinos do Brasil, em parceria com o fotógrafo Paulo Behar e Araquém Alcântara.

Instagram: @victorchahin

Foto-Sobre-1