Destino – Parque do Zizo

4 de agosto de 2019

materia-foto

O Parque do Zizo tem que ser um destino obrigatório para fotógrafos de natureza. São mais de 300 hectares de floresta densa, repleto de árvores centenárias, rios, cachoeiras e uma fauna diversa. O parque está localizado no maior contínuo de Mata Atlântica preservada do Brasil, há aproximadamente 200km da capital paulista.

A sede do Zizo tem instalações simples e ideais para uma hospedagem confortável e proveitosa. Tudo ali foi construído com o esforço de décadas, tijolo a tijolo pelos proprietários. O local possuí forno a lenha, energia solar e água quente.

O atendimento é incrível e comida saborosa. Normalmente é o Chico, proprietário da RPPN, que cuida da sua estadia. Fazendo de tudo e mais um pouco para o maior conforto dos hóspedes. Além de ser uma pessoa incrível.

Resumindo, o local tem tudo que um fotógrafo de natureza precisa para fazer suas atividades. Só não tem sinal de celular. Mas nada de pânico, há 8km de carro da Sede, tem locais com sinal pra ligar e passar mensagem no WhatsApp.

Fotografia no Parque do Zizo

Vamos ao que mais importa para o fotógrafo. O Parque do Zizo tem 8 trilhas principais com manutenção em dia. Sendo que a maioria delas são interligadas. Para informações especificas de cada uma delas e dificuldades pode ser conferidas no site oficial da RPPN.

As caminhadas pelo Zizo são um encontro com o Brasil desconhecido. Lá, a floresta está em estágio primário de conservação. A densidade de árvores monstruosas e a verticalidade da floresta possibilita que o fotógrafo se aventure nas fotos de paisagem.

Com um passo mais lento e observando bem, é possível encontrar belíssimas composições de árvores de troncos grossos, cercadas pela floresta. A dica é observar o entorno da árvore que deseja fotografar. Busque aproximar dela com lentes como 14-24mm ou 24-70mm e criar fotos que engrandeça-a, como uma matriarca na floresta.

Distancie-se também da árvore que escolheu trabalhar, ande no entorno dela, fazendo um circulo. Busque ângulos entre a floresta com lentes como uma 24-70mm ou 70-200mm. Importante também observar a luz. Na maioria das vezes, uma luz que entra na mata no amanhecer ou no entardecer criam climas incríveis com essas gigantes.

Fotografia de Aves

Além das árvores, a fotografia de aves é um campo a ser explorado. O Parque do Zizo é um refúgio de aves raras. Tanto que existe uma caminhada de 2km pela Trilha do Passarinheiro, que passa por diversos micro-ambientes. Sendo que esse fator aumenta as chances de tirar uma grande foto de espécies raras.

Na RPPN foram registradas mais de 300 espécies de aves. Entre elas, a Jacutinga (Pipile jacutinga), Sabiá-cica (Triclaria malachitacea), Caburé-acanelado (Aegolius harrisii) e Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus).

A tarefa de fotografar aves nas trilhas vai exigir bastante esforço e paciência, ainda mais quando o objetivo for tirar grandes fotos e não registro científicos. O equipamento ideal nessas condições seria uma lente com 400mm f/4 ou até f/2.8. Contudo, é possível fotografar com lentes mais escuras como f/5.6.

Ainda falando sobre as aves. Na própria sede, existe um comedouro que ferve de espécies. Principalmente no inverno e outono. Tietinga (Cissopis leverianus), Benedito-de-testa-amarela (Melanerpes flavifrons), Pica-pau-de-cabeça-amarela (Celeus flavescens) e Saíra-militar (Tangara cyanocephala) são apenas algumas das espécies que frequentam o local. No comedouro, uma lente 300mm já é boa para fotos, pois as aves são menos ariscas e permitem a aproximação.

Mirante e Paisagem

Outro local excelente para fotografia é o Mirante dos Gaviões, o qual fica na trilha principal do acesso ao parque. Um parênteses, ao chegar na RPPN, na descida para a sede, é interessante parar no mirante para sentir o tamanho do local que você irá explorar nos próximos dias.

No mirante, é possível fazer fotos de paisagens belíssimas com lentes telefotos ou wide-angle. A foto que compõe o início deste texto foi feita às 6 horas da manhã.

Como o nome já diz, gaviões cruzam o vale do mirante, sendo possível fotos em voo. Lentes 400mm com um TC 1.4x podem ajudar quando a oportunidade surgir.

A dica é passar um amanhecer no Mirante dos Gaviões. Sendo assim, chegue antes do amanhecer e espere até umas 9h30. Veja a beleza que é a Mata Atlântica despertando. Quem sabe ela não te presenteia com um bando de Muriquis cruzando o dossel da floresta.

Dicas Extras e Informações

O acesso ao Zizo não é complicado. De São Miguel Arcanjo até o parque são 25km, sendo 15km de estrada de terra. Evite colocar o parque direto no Waze, porque pode acontecer dele seguir uma estrada de terra alternativa, com trechos ruins. A dica é ligar para o Chico e ele irá informar a rota mais fácil.

Os últimos 700 metros para chegar na sede é o trecho complicado do acesso. Contudo, a estrutura permite parar o carro no estacionamento e o próprio parque busca você com um 4×4. Se você tiver seu 4×4, é possível sim, com cuidado, fazer a descida até a sede.

Recomendo ficar de 3 a 4 dias para uma viagem proveitosa. Contudo, você irá sair de lá querendo voltar, pois tem bastante trilhas para ver e curtir.

É importante nunca caminhar pelas trilhas sozinho e ter em mente que um guia local pode evitar dores de cabeça, pois, apesar de serem trilhas limpas, existem bifurcações e trilhas auxiliares, que podem confundir. O Chico sempre orienta o cliente e informa também sobre os guias locais.

Para informações sobre o Parque do Zizo, acesse o site oficial ou ligue (15) 99614-7994.

Victor Chahin – Agosto/2019

Siga no Instagram.